sábado, 23 de agosto de 2014

Os outros estão a observá-lo

O fumo pairava sobre um bairro onde 18 pessoas morreram e 850 foram presas em motins de rua. Jon Walker disse: “O meu pai, um investigador especial de uma agência governamental, sentou-se comigo a observar a violência na televisão. De forma casual ele disse: ‘É exatamente ali que está programado eu estar hoje’...e eu disse ‘Mas porque é que vais?...Diz-lhes que não podes... que façam
de novo a escala’...Ele olhou para mim e disse: ‘Porque é que eu não iria? É o meu trabalho.’”Walker continua a contar: “Foi um momento
de descoberta para mim...é claro que ele iria. Ele assumiu um compromisso...de estar onde deveria estar independentemente das circunstâncias. Da mesma maneira que voou para missões de reconhecimento da Guerra Fria...da mesma maneira que fotografou
mísseis cubanos a serem montados...da mesma maneira que esteve ao meu lado dia após dia ao longo da sua vida. Naquele momento eu assimilei o exemplo. Compreendi a importância de nos mantermos comprometidos, independentemente da dificuldade ou do quão descabido possa parecer...O meu pai falou mais através do que ele fez do que através do que ele disse...o seu exemplo tornou-se a história de Deus a trabalhar na vida humana”.
Pergunta: o que aconteceria se as pessoas seguissem o seu exemplo em vez do seu conselho no que diz respeito a ética profissional, ao seu uso do computador, à sua integridade nos negócios, e à forma como trata a sua família? Seja honesto! Paulo desafia cada um de nós para ser “[...] o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (1 Timóteo 4:12). Ele disse a Tito: “Em tudo te dá por exemplo de boas obras [...] mostra incorrupção [...]”. Se pensa que isto é uma ordem impossível de cumprir – tem razão. Mas “[...] o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou pela sua glória e virtude” (2 Pedro 1:3).

UCB Portugal

Sem comentários:

Publicar um comentário